Páginas

12 de nov de 2016

Pesadelo Humano

Existe um encargo desordenado do desprezo
Onde pessoas anormais são desonestamente criticadas
Pessoas diferentes são julgadas por serem a cima do normal imposto pela sociedade
Estética, comportamento e músicas...
Religiosamente, sempre é desonesto
Errado
As diferenças são incontestáveis
Tubarões terrestres
0,5 % de grandes encontros
Agarre-os e não os deixem fugir
Distúrbios egocêntricos não me atingem
Peças dos visitantes
Sorrisos falsos e tenebrosos
Grande guerra humana
Os melhores sempre morrem antes
Seguimento interno de leis pessoais
Contra os impostos pelo humano do mal
Diga-me: _ onde você vai morar futuramente?
O dinheiro pode te enterrar num túmulo caro
Mais sua vida foi perdida, por você seguir o que os outros lhe obrigam
Sua alma está longe da luz!
E no escuro você segue e percebe
Sorria!
Esse lado monstruoso foi previsto antes de ter lhe transformado.
O mal impera nas suas atitudes
Hão de vir muitos ainda
O fim está previsto
Tenho medo dos que tentam me abraçar falsamente
Quero me manter salvo
Dormindo escutando um som bom

6 de nov de 2016

Definhando

No que nos atende nos dias
Levá-nos ao desencanto pessoal
A admiração interna está definhando
Os sonhos sentimentais estão sendo apagados
O coração gigante está morrendo
Um outro ser sendo criado
No lugar do que foi criado
Nada ajuda a interferência
De tudo que ainda está por vir
Não abra seus olhos agora!
Você pode não sobreviver a tanta maldade
O lado negro pessoal está tomando os lugares
Almas sendo vendidas
Compre meu sentimento!
Estou sendo um ser barato
E todos os privilégios amáveis estão mortos
A culpa é do que foi criado para me transformar
De seres que lutam para me ver morto
Apagado para os sentimentos felizes
Devastadora desilusão da felicidade
Onde chegaremos com tanta dor
Não quero continuar aqui
Prefiro fugir!

3 de nov de 2016

Espectro

Espectro...
Fantasma de mim
Deixe minha alma
Tão triste assim

Fobia...
Medo do fim
Não me deixe ir

Vórtex...
Me tire daqui
Não...
Não me deixe ir

Espectro...
Pedaços de mim
Ainda estou aqui

2 de nov de 2016

O Medo

Existe medo do que virá
De nada dar certo simplesmente
Medo de se sentir destruído
De desistir da guerra diária
De dizer não ao todo mal insistente
Medo da solidão
De perder pessoas amadas
De não segurar o amor de verdade
Medo de fechar os olhos e não abri-lo mais
De todas as palavras tenebrosas
Medo de todos os inimigos
Daqueles que desejam o seu mal
Medo de não ouvir mais as palavras lindas
Medo de se sentir perdido e acabado
Medo da ilusão, destruição e invenção
De tudo aquilo que não foi feito pra nós
Somos parceiros infinitos desse sentimento
O medo... Tudo... Medo... De nós!
Eu desejo que sinta isso fortemente
Todos os dias da sua existência
Medo de tudo aquilo que tentará lhe destruir
Sinta medo e fique distante, torne-se invisível
Agarre-se a tudo que te levante
De tudo que te distancie do medo
Do medo de ser feliz e vitorioso
Lute... Lute... Lute
E não desista nunca!