Páginas

15 de set de 2015

O Iluminado

Vejo seu indelicado desprezo
A tudo que dedico ao seu sorriso
E assim destrói o meu
E já quebrado, aspiro força
Eis que dela anseio por paciência
E suplico por amor
Um simples que me faça sorrir
Sou sincero quando respiro
E assim me sinto humano
E sinto as pessoas
E vejo...
Gente que chora
Que tem medo
E que não sabe mais amar
Gente que machuca
Que não ama a si mesmo
Gente morta.

Mais o mundo é grande
E ainda há esperança
A passos a serem dados
E abraços apertados
E beijos intermináveis
E reencontros...

Ainda estou aqui e nada terminou
Acredito, evoluo e sou iluminado
Amores ainda virão...
Eu encontro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário