Páginas

5 de dez de 2012

A Floresta Labiríntica




... E mesmo assim, perde-se a cada piscar dos olhos
 E todo o tema obscuro derrama-se em sua cama
Mas nada que uma despedida rápida da luz não cubra
Deleitar-se de todo descanso possível, talvez sonhar
Um dia talvez essa ponte segura simplesmente desmorone
Mas que nunca seja sobre meus pés grossos e descalços
Sinto apenas o cheiro de algumas folhas molhadas
Mesmo perdido nessa floresta labiríntica onde me deixastes
Despejo minhas últimas forças em um errático plano de fuga
Que seja sempre de mim... afugentar-me do teu recalcado mal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário