Páginas

26 de mar de 2011

Um Sonho Bom


Horas de tédio
Intervalo sem atenção
Seção da tarde vazia
Em frente da televisão
Balançar os pés
Escutar rádio alemã
Lendo classificados
De um jornal velho
Dormir no final do filme
Despertar com barulho
De fogos de artifício
Receber ligação a cobrar
Descobrir que é idiota
Ser traído pela namorada
Comer algo sem saber
Que está fora da validade
Ser gentil com alguém
Que queremos esganar
Fingir ser normal
Todos os dias
Sorrir pra todos
Mesmo quando
Estamos mal
Dormir e acordar
Quando queremos
Simplesmente
Permanecer
Sonhando
Um sonho bom

22 de mar de 2011

Olhar Triste


Ele está sozinho em seu canto
Sempre com a cabeça baixa
E ninguém se importa com ele
Seu olhar é triste e desanimador
Ele não tem amigos e namorada
Nunca o vemos com alguém
“Ele é um garoto gordo e estranho”
É o que todos dizem dele.
Seu pai é um bêbado e fracassado
Sua mãe o deixou bem cedo
Morreu após tê-lo
Seu pai o culpa por isso
Ele chora todos os dias
À noite, ele espera seu pai dormir
E foge para o lago onde ele olha as estrelas
Come uma barra chocolate amaçada.
Sentado na grama ele se sente seguro
As horas passam, a alvorada se aproxima
Ele tem que voltar correndo pra sua casa
Ele chega cansado e vai para o seu quarto
Ajoelha-se e reza uma oração de perdão
Seu pai acorda e grita pelo seu nome
Ele levanta correndo ao seu encontro
Abraça o seu pai e pede perdão chorando
Diz que era para Deus o levar no lugar de sua mãe
Seu pai friamente se afasta e o manda fazer café
De mãos trêmulas e pernas bambas, ele grita:
_ Não tenho culpa de ter nascido, olhe para mim!
_ Não tenho culpa de ser seu filho, não me ignore!
_ Peço a Deus todos os dias pra ele me levar para o lado da minha mãe.
Seu pai dá as costas e sai atordoado para fora da casa
A noite ele volta bêbado e ao entrar, grita: Ei, gordo imundo!
Não obtém resposta, ele o procura no quarto e encontra uma carta.
“Pai, sem seu perdão, não consigo mais viver!
 Sempre esperei um dia o Senhor me dizer “eu amo você”
 Mas sei que o senhor nunca vai me perdoar
 Então vou deixar o Senhor ser feliz sozinho
 Eu o amo e vamos lhe esperar lá no Céu minha mãe e eu”
Ele sai em busca de seu filho
Encontra um rastro que leva para o lago
E lá ele encontra as roupas de seu filho na beira do lago
Ele grita pelo nome de seu filho
Mas ele não responde
Ele não sabia nadar.

Com participação especial de Amanda Farias

20 de mar de 2011

Paco


Bolacha salgada
Coca-Cola com gelo
Cigarro longo
Chocolate
Cerveja em lata
Garganta seca
Língua áspera
Olhos púrpuros
Rodopiou alucinante
Vertigem
Cabeça tonta
Pupilas dilatadas
Entorpecimento intelectual
Frigidez sexual
Arritmia cardíaca
Delírios paranoicos
Crise psicótica


16 de mar de 2011

Eles



Eu em você
Você em mim
Sentimos juntos
Ao mesmo tempo
Eu parte de você
Você parte de mim
Absorver o cheiro
Morder a orelha
Alimentar a libido
Olhos nos olhos...
Sua história é minha
Beijo na cozinha...
Você dormia
Eu te vigiava
Um toque...
Arrepio!
Lua de mel
Areia e mar
Para perpetuar
O nosso amor.

Dedico esse texto aos "Andrés"
Sejam Felizes Amigos!!!

15 de mar de 2011

Angelus "Serafim"


Durante toda noite
Senti alguém me observando
Alguém de guarda me protegendo
Durante toda noite
Sobre ataque do mal
Senti a muralha de fogo ao redor
Armadura branca e escudo de ouro
Durante algumas horas de medo
Senti alguém segurando minhas mãos
Alguém de pele de porcelana
Durante um tempo de silêncio
Consegui escutar o som das trombetas
E senti emanar toda a essência divina
E neste instante inflamar minha alma
Durante toda noite
Vi as trevas serem consumidas pelo fogo
Incandescente, perpétuo e celestial
Arautos dos desígnios divinos
Guerreiros contra as ações dos Nefilins.

14 de mar de 2011

O Fogo


Toda essa loucura destrói minha imagem
Eu nunca deixei de ser complexo e depressivo
A vida é dura, eu sempre vejo sorrisos falsos.
Eu não tenho culpa de não dar atenção a vocês
Vocês nunca me deram atenção também
É difícil ter amigos, pois é difícil ter fidelidade.

As esquinas guardam os vícios
As armas lhe oferecem a morte
As drogas roubam sua liberdade
Enquanto estou semanas sem dormir
Meus olhos estão cansados
O telefone toca “é apenas um engano”
A menina recebe flores e acha fora de moda
Uma noite e sua cama esta molhada
Alguém que ela não conhece lhe provou
“A vida é apenas o presente”
Eu não esqueci o passado...
Eu ainda penso no futuro
Mesmo com mãos fracas eu agarrei o amor0
E agora, ele está preso dentro de mim.

Flores apenas aos mortos
Os mortos do presente
Os mortos da moda.

Desculpe-me se eu machuquei você
Não há como ser gentil em sua época
O tecido do seu vestido é fino
Suas vestes íntimas são brancas
Alguém me disse que você é boa de cama
Preciso ter certeza disso.

Eu sempre fui esquisito
Eu nunca entendi bem isso
Talvez eu nasci atrasado...
A menina me olha,
Pede-me um cigarro
E o fogo se acende...

A última safra do amor
Onde encontrei o meu
E mesmo com mãos fracas
Eu o agarrei com força
 
Texto de 2005: Diego Nobre