Páginas

26 de dez de 2011

Poema de Boteco (por Mariana Alves e Diego Nobre)


O que eu era, já não é mais
Meu amor, vem e mais
sempre que te vem
me invade e vai
me lança, me engole, me embola, me enlaça
me tira de mim
me faz pensar que não sou eu...
Se eu morresse contigo
seria uma maneira digna de morrer
Depois desse beijo, essa música.
Te quero, mas vai
a língua da tua boca me toca
minha pele te pede,
Chico, Nara
se eu pudesse escolher uma coisa boa
seria boa pra alma.
Um bêbado briga com a música
Chico vem!
me invade, me enlaça, me engole
em dois goles...

Nenhum comentário:

Postar um comentário